Compressor de modulação

Em numerosas aplicações é desejável dispor de um compressor de modulação que se pode também designar por controle automático de volume, se bem que não seja uma designação correcta.

Esta montagem encarrega-se, de facto, de reduzir a margem global de variação da amplitude dum sinal de entrada, dentro de limites bem definidos. Portanto, situa-se entre os sistemas de emissão de rádio destinados a evitar a sobremodulação, nos conjuntos de sonorização, para evitar a saturação dos amplificadores de potência quando o comentador fala muito alto. Pode utilizar-se também antes de um gravador para evitar igualmente a saturação, mas trata-se de uma utilização marginal, porque a imensa maioria dos aparelhos actuais já estão equipados com um dispositivo deste tipo.

 

Princípio de funcionamento

 

Figura 1 - Esquema do compressor

 

Uma vez que se comprime o sinal de áudio, não se pode falar em alta fidelidade. A solução encontrada é, simultaneamente, simples e original. Utiliza como "potenciómetro electrónico" um diodo LED que ilumina uma LDR, isto é, uma resistência cujo valor óhmico depende da luz que diminui quando a luz aumenta.

O sinal a comprimir, entra num ponto do divisor de tensão constituído por um potenciómetro, permitindo regular a gama de funcionamento da montagem, e por uma LDR.

Este andar é seguido por um amplificador de colector comum, realizado com base em T1. Ele não proporciona nenhum ganho de tensão, mas apenas um ganho de corrente, e isola assim o divisor de tensão da saída da montagem, que é de baixa impedância.

O sinal de saída é extraído por intermédio de C4 e alimenta um rectificador constituído por D1 e D2, que alimenta, por sua vez, o transístor T2, este é, portanto, tanto mais condutor quanto maior for a amplitude do sinal de saída do compressor.

Como alimenta um LED ligado ao seu colector, este ilumina-se proporcionalmente à amplitude do sinal de saída. Colocado em frente da LDR faz reduzir, automaticamente a amplitude do sinal de entrada o que assegura a compressão mencionada. Este esquema permite, por exemplo, reduzir uma variação da entrada de 1,2 a 4 V para outra de 1 a 1,5V.

 

Realização

 

Figura 2 - Traçado do circuito impresso e implantação dos componentes

 

 

Devido à simplicidade do esquema, a montagem não apresenta nenhuma dificuldade, exigindo apenas um pouco de habilidade quanto aos aspectos mecânicos do conjunto LED-LDR. Para que o sistema funcione correctamente é preciso que a LDR só receba a luz do LED. Estes dois componentes deverão, ser colocados frente a frente antes de serem montados num pequeno tubo (ou caixa de plástico) tornado estanque à luz com o auxílio de qualquer material adequado.

Tendo em conta os valor dos elementos, a montagem destina-se a tratar dos sinais de alto nível, isto é, com uma amplitude eficaz da ordem de cerca de 500mV na entrada. Portanto, será preciso ter em conta esta circunstância, e inseri-la no local adequado da cadeia de amplificação na qual se pretende interferir.

O potenciómetro P1 permite fixar a sensibilidade da montagem e a eficiência da compressão. A posição ideal é a que, para um sinal de entrada situado a meio da gama possível, provoca uma fraca ignição do LED.

 

Lista de material

Resistências 1/4W ±5%

 

Condensadores

 

Semicondutores

 

Diversos

 

 

Página Inicial