Descalcificador electrónico

 

Em muitas regiões, a água da rede de distribuição tem uma taxa de calcário considerável; diz-se que a água é "dura", em maior ou menor grau, mas essa circunstância não impede que ela seja potável. Porém, os elementos de aquecimento vão-se cobrindo de calcário e sofrendo todos os efeitos nefastos que daí resultam.

A montagem que se apresenta neste artigo pode proporcionar uma solução eficaz para este problema.

 

Introdução

Experiências efectuadas puseram em evidência que um campo magnético atravessando uma água calcária produzia uma associação entre os cristais de carbonato de cálcio e outros minerais, dando como resultado elementos com maior volume, o que contribui para diminuir as possibilidades de se depositarem.

A canalização geral da alimentação, ou ainda a conduta que liga um aparelho à rede, será, portanto, submetida a um campo magnético cuja frequência é variável dentro de uma determinada gama, de modo a obter a mais eficaz. O campo é radiado a partir de um enrolamento em torno da canalização em PVC ou, eventualmente, em cobre.

 

Funcionamento

Figura 1 - Esquema do descalcificador electrónico.

 

a) Alimentação

A energia é fornecida pela rede, por intermédio dum transformador de alimentação cujo enrolamento secundário fornece uma tensão de 12V. Uma ponte de díodos realiza uma rectificação de onda completa, e o condensador C1 efectua uma filtragem eficaz.

Na saída do estabilizador 7812 obtém-se uma tensão estável e contínua de 12V à qual C2 proporciona um complemento da filtragem. Quanto a C3, a sua missão consiste em desacoplar a parte frontal da montagem, desta alimentação.

 

b) Bases de tempos

Os circuitos integrados IC1 e IC2 são os "555", bem conhecidos. O período de oscilação de IC1 é determinado pela expressão T=0,7. (R1 + 2xR2).C5.

Nesta montagem o período é de cerca de 220ms, o que corresponde a uma frequência da ordem dos 4,5Hz. No terminal positivo de C5 obtém-se uma tensão triangular que é encaminhada para a entrada "Referência" (terminal 5) do IC2.

Este IC cujo período das oscilações depende essencialmente de R3, R4 e C6, é também submetido à tensão triangular referida anteriormente. Em particular, conforme o local do ciclo próprio de IC1 o disparo dos fenómenos de carga e descarga de C6 produzem-se em pontos variáveis.

Como resultado, temos um sinal sob a forma de impulsos disponíveis na saída (terminal 3) de IC2, cuja frequência varia de 800Hz a 2,5KHz.

 

c) Corrente de utilização

Os impulsos referidos são encaminhados directamente para a bobine por intermédio do condensador C7, de R6 e de R9.

O condensador C7 carrega-se e descarrega-se ao ritmo das oscilações de IC2. A corrente eficaz média útil na bobine é da ordem de 60 a 70mA, o que é suficiente para criar o campo eléctrico necessário.

 

d) Sinalização

Por intermédio de C8, estabelece-se uma fraca corrente, periodicamente, através da junção base-emissor do transístor T, o que provoca a iluminação, por impulsos do LED L. Graças à frequência do sinal e à persistência retiniana do olho humano, o LED dá a impressão de estar continuamente iluminado.

O LED assinala o correcto funcionamento do oscilador. O díodo D permite a C8 descarregar-se periodicamente quando dos níveis baixos do sinal de utilização.

 

Realização

Figura 2 - Traçado do circuito impresso.

 

Figura 3 - Implantação dos componentes.

 

a) Circuito impresso

A sua realização não põe nenhum problema especial. Todas as pastilhas devem ser furadas com brocas de 0,8 mm de diâmetro. Conforme os componentes aos quais se destinam, alguns furos terão de ser aumentados, posteriormente, para 1 ou 1,3 mm.

 

b) Implantação dos componentes

Começa-se pelos componentes de menor altura, tais como os díodos, resistências e suportes de circuitos integrados.

Termina-se pela implantação dos componentes mais volumosos. Deve haver também o cuidado de montar correctamente os componentes polarizados.

A figura 4 ilustra o modo prático de realizar, simplesmente, a bobine geradora do campo magnético.

 

Figura 4 - Realização da bobine.

 

Lista de material

Resistências 1/2W ±5%

 

Condensadores

 

Semicondutores

 

Diversos

Página Inicial